3 dicas para gestão de equipes remotas

De startups a grandes empresas, todos estão olhando com bons olhos para a ideia de ter colaboradores trabalhando remotamente. Isso acontece porque a quantidade de benefícios é enorme: redução de custos de escritório, economia de tempo com trânsito por parte dos funcionários, aumento de produtividade e redução do stress corporativo são apenas alguns dos exemplos. Mas como tudo na vida, existem os problemas do trabalho a distância.

Quando uma estrutura de trabalho remoto é testada numa empresa onde o micro-gerenciamento reina, as chances da iniciativa falhar são grandes. É preciso saber como gerenciar o trabalho remoto, porque a ideia de trabalhar de casa pressupõe liberdade ao funcionário, e liberdade e micro-gerenciamento não combinam (imagine um colaborador acostumado a trabalhar e entregar resultados somente sob pressão, trabalhando livre no conforto do seu sofá). Além disso, a falta de integração da equipe, má comunicação interna e medição de produtividade são outros desafios que devem ser enfrentados.

Para ajudar as empresas que buscam começar uma iniciativa (ou a empresa inteira) em sistema remoto, seguem nossas 3 dicas mais valiosas.

1) Mantenha a equipe integrada

Um dos grandes benefícios de um ambiente de trabalho presencial é a integração, união que esse convívio diário pode trazer (e com isso um aumento de produtividade). O Cultura colaborativa, inclusive, já falou outras vezes sobre a importância de manter a integração entre os colaboradores e os setores da empresa. Mas e com as equipes remotas? A boa notícia é que já existem ferramentas on-line para suprir essa necessidade. O Slack é o software de comunicação para empresas que agiliza o contato com colaboradores e substitui e-mails infinitos. Da mesma forma, a SocialBase agiliza a comunicação interna e ajuda na integração da empresa usando conceitos de redes sociais.

Tenha em mente: em sistemas de trabalhos remotos, usar boas ferramentas de comunicação e relacionamento virtuais (desenvolvidas especialmente para fins corporativos) é imprescindível.

2) Expulse o micro-gerenciamento da organização (Foco no resultado)

Já batemos nessa tecla no início do artigo, mas vale a pena ressaltar a importância de banir o gerenciamento de cada pequena atividade dos funcionários em um sistema de trabalho a distância. Como cada colaborador irá poder controlar sua rotina, vale a pena focar nas entregas: qual o resultado cada pessoa deve apresentar depois de um período X de trabalho?

Empresas que trabalham com equipes internas de vendas costumam dar muita liberdade para seus funcionários. E porque não fazer isso com cada vendedor trabalhando em casa, sem gastar recursos com aluguel, material de escritório, etc.? Se sua empresa trabalha com uma equipe de vendas interna leia o post com truques de inside sales.

Coloque metas claras e quantificáveis, e deixe claro que cada um é responsável por alcança-las. Foco no resultado!

3) Comemore vitórias presencialmente

A empresa superou em 50% a meta de faturamento anual? Marque um final de semana de imersão com toda a empresa em um hotel. Estão comemorando 10 anos no mercado ou o lançamento de um novo produto? Reúnam-se para fazer isso.

Eventos presenciais esporádicos a fim de comemorar grandes (ou mesmo pequenas) vitórias dão gás aos funcionários, fazem com que eles voltem para casa e “deem o sangue” em suas atividades. O trabalho remoto, com uma pitada de contato presencial, pode ser altamente rentável!


Dica Bônus do Cultura

A falta de integração nas empresas que possuem muitas unidades é um problema recorrente. A comunicação precisa funcionar em rede e sem ruídos para que nada de importante se perca no meio do caminho e os colaboradores sejam mais produtivos. Escrevemos o eBook “Redes Sociais Corporativas para Franquias” com o objetivo de exemplificar como é possível construir uma excelente comunicação em uma empresa que precisa se comunicar com stakeholders externos.

Redes Sociais Corporativas para Franquias

Diego

Diego Wagner

Diego Wagner é Diretor da Viddheo – software de atendimento on-line por videoconferência.