A comunicação é uma só!

Como é tratada a comunicação na sua empresa? Há divisões específicas, onde são direcionadas demandas internas e externas?

Se sua resposta a estes questionamentos foi sim está na hora de rever alguns conceitos sobre como alinhar a comunicação.

De acordo com a consultora Ana Claudia Pais, não há mais uma divisão entre comunicação interna e externa. “A comunicação é uma só, tudo se mistura”, salienta a profissional.

Ela destaca que devido ao atual cenário econômico e a baixa credibilidade de instituições públicas e privadas há o crescimento de um ambiente de pessimismo e de falta de legitimidade, que pode ser desconstruído ou maximizado pela forma como a comunicação é gerenciada.

Para a profissional, a transparência na comunicação é a melhor ferramenta para se proteger neste ambiente. Ela destaca haver a necessidade de um acompanhamento constante da comunicação ao público com que a empresa fala. Seja ele interno ou externo.

Esta proximidade, segundo ela, inibe a escalada de crises. Contudo, aconselha: “se você nunca fez comunicação, não a faça em momentos de crise”. Este processo pode ser prejudicial e ter efeito contrário ao pretendido. “Você tem que criar um relacionamento prévio e ser consistente, objetivo e transparente sempre – a comunicação deve ser um canal de mão dupla constante”, comenta Ana.

O lugar e papel da Comunicação

Esse cruzamento de informações, segundo Kelly Cortes, superintendente de Desenvolvimento Humano da Call Tecnologia, ganha maior relevância e importância entre colaboradores e gestores a partir da construção de um diálogo transparente que leve ao entendimento do que ambas as partes esperam.

Para Ana, é papel da comunicação entender com quem a empresa fala. “Cada público apresenta as suas necessidades e compreendê-las pode trazer benefícios, problemas e oportunidades”, salienta a consultora.

O valor do mapeamento destes públicos e suas necessidades é um importante passo para  se gerenciar possíveis crises e trabalhar oportunidades. Além disso, torna mais fácil a identificação e reconhecimento dos pontos de vulnerabilidade da empresa. Ou seja, este processo fomenta a produção de mensagens chaves e posicionamentos pré-definidos de acordo com cada público, facilitando a construção de uma comunicação ágil, robusta e direcionada a todos os targets da empresa.

 

França

França

Jornalista, especialista em cinema e mestrando em Literatura, nas horas vagas lembra da tempestade que destruiu Macondo e combate o crime em Gotham City.