Como produzir valor em mobilidade corporativa por meio da comunicação interna

Na manhã da última quarta-feira (04/11) a SocialBase em parceria com a Mobicity promoveu um debate sobre como a mobilidade corporativa aliada à comunicação interna podem promover valor e melhoria no ambiente organizacional. Os principais pontos da conversa com Ivone Santana, consultora da Magazine Luiza, e Mariana Páal, gerente de sustentabilidade do Grupo Abril, você confere na cobertura de Herbert Lopes:

Mobilidade

As pessoas buscam mobilidade por vários motivos, melhoria de vida, possibilidade de ir de um lugar ao outro rapidamente, passagem de uma classe social para outra e vencer distâncias. 

A mobilidade causa muitos impactos, entre eles: nova cultura, necessidades básicas, renda, transporte, resistência, preconceito, competição, solidariedade, colaboração e diversidade. E tudo isso impacta também diretamente na empregabilidade e requer um esforço para todos, considerando o aspecto amplo do setor público e da sociedade.

Quando você promove as mesmas condições para pessoas com situações diferentes, nem sempre eles conseguem o mesmo resultado devido a diversas barreiras como comunicação, acessibilidade e suas necessidades. Por esse motivo é trabalhado a equidade para que pessoas com situações diferentes conquistem resultados iguais e nas mesmas condições.

Case Magazine Luiza
A Magazine Luiza tem 23 mil funcionários com 736 lojas em todo o Brasil. Pensando na mobilidade corporativa elaborou uma metodologia de gestão de projetos com 4 etapas:

  1. Diagnóstico
  2. Elaboração do plano de ação
  3. Implementação
  4. Reputação

Depois de feito todo esse trabalho, o primeiro passo foi engajar a liderança levando o tema para toda a diretoria da empresa. A TV Magazine Luiza, promove um quadro chamado Sou Eficiente, criado exclusivamente para os profissionais deficientes da empresa e para participar deste quadro o colaborador tem que se destacar profissionalmente e ao mesmo tempo que faz isso, ele acaba motivando e inspirando outros funcionários da empresa.

A Magazine Luiza foi considerada a sétima melhor do Brasil no quesito comunicação com pessoas deficientes e venceu o prêmio ABERJ em 2014 voltado a sustentabilidade empresarial.

A empresa criou condições para que não exista nenhum obstáculo no trabalho para nenhum deficiente e claro, também aumenta a auto estima desses colaboradores quebrando a barreira de convívio interno dentro da empresa.

Em parceria com o Banco Mundial e o WRI surgiu em dezembro de 2012 o Projeto Mobilidade Abril com o objetivo de envolver o público interno no plano de mobilidade, incentivar mudanças estruturais no novo edifício Abril e também fomentar a reflexão e o diálogo sobre o tema com os funcionários e a o sociedade em geral.

Foi criado um modelo de governança com um grupo de decisão bem participativo com 3 comitês: Pesquisa (Jurídico), Comunicação (Planeta Sustentável) e Implantação (Facilities) e foi somado com um grupo de voluntários.

Case Grupo Abril
Cito agora as principais ações criadas pelo Grupo Abril: pesquisa (essencial ao projeto), sistema de caronas (que já era uma cultura da Abril), foi criado um Portal de Mobilidade, campanha de divulgação interna através de vídeos, flexibilidade de horário, compartilhar serviço de fretamento e projeto home office (1 vez por semana os funcionários trabalham em home office). Todas essas ações  foram apresentadas a curto, médio e longo prazo.

O objetivo da pesquisa citada acima foi elaborar transportes viáveis e sustentáveis de acordo com as resposta dos funcionários.

Essa pesquisa explorou:

  • Perfil;
  • Horário e flexibilidade;
  • Locomoção;
  • Alternativas e possibilidades.

A pesquisa elaborada pelo Grupo Abril foi bem completa e aprofundada, coletou diversas informações e identificou questões importantes para melhorar a mobilidade durante o trajeto para o trabalho.

Os principais aprendizados dessa pesquisa é que não adianta propor soluções se não oferecer um diagnóstico específico, utilização de dados para nortear ações de mobilidade, interação entre diferentes áreas da empresa, construção coletiva e diálogo entre funcionários, engajamento com uma causa comum a todos e assim cria-se alternativas mais atrativas.

Conclusão
A mobilidade corporativa não é apenas uma tendência e sim uma realidade que as grandes empresas já estão aplicando e com isso estão um passo (ou mais) a frente de outras corporações que pensam que é apenas uma questão que o setor público pode resolver.

A mobilidade anda junto com a sustentabilidade e com isso ajuda o nosso país a ser um lugar melhor para se viver com pessoas de diferentes classes sociais, etnias, deficiências vivendo e trabalhando de maneira igual mesmo em condições de vida diferentes.

________________

Ivone Santana
É consultora do Magazine Luiza. Depois de 17 anos contribuindo no meio corporativo, em 2015, Ivone decidiu criar o Instituto Modo Parités, que significa Somente Juntos, uma maneira de trabalhar a inclusão e a sustentabilidade.

Mariana Páal
É gerente de sustentabilidade do Grupo Abril e representa a questão de mobilidade dentro da empresa.

 

 

Herbert

Herbert Lopes

É fundador do Superstorm. Também escreve ao portal Startse/Infomoney. Apaixonado por empreendedorismo, inovação, séries e livros. Desde de 2009 atua com marketing digital, participando ativamente de eventos do setor. Também produz conteúdo para diversos blogs e portais de marketing.