Conhecimento como motivação aos colaboradores

Há alguns dias falamos aqui no blog sobre endomarketing e as vantagens de sua aplicação como ferramenta de gestão estratégica. Em meio as pesquisas para o conteúdo dois pontos são unanimidade entre os especialistas: as empresas são as pessoas e é preciso conhecê-las.

Compreendê-las não é somente estratégico à comunicação e a linguagem que será usada para convencê-los a “ser” a empresa, mas também para entender seu nível de conhecimento e para onde eles o estão levando.

Digamos que em uma empresa de tecnologia haja a necessidade de produzir um vídeo institucional e a organização possua todos os equipamentos necessários, mas não o profissional. É aqui onde o trabalho de “detetive” pode dar frutos, pois em meio a técnicos, programadores e outros profissionais pode haver alguém que efetua o trabalho como hobbie ou mesmo profissionalmente fora do ambiente da empresa.

Então, claro, havendo interesse de ambas as partes – e dentro de um acordo – o gasto com uma produtora pode ser evitado, pois há dentro da empresa alguém que, embora, não seja sua função pode estar disposto a empregar seu conhecimento em outra área.

Esse tipo de abordagem não beneficia apenas a entidade em questões econômicas, mas também motiva o colaborador, que vê seu conhecimento além organização sendo aplicado e rendendo a ele como profissional na instituição. Esse sentimento segundo Roberto Recinella (2005), está ligado, simplesmente, ao desejo e aspirações de o que fazer da vida, pois os motivos são pessoais, intransferíveis, logo os motivos são abstratos e só têm significado ao portador do ideal.

 

França

França

Jornalista, especialista em cinema e mestrando em Literatura, nas horas vagas lembra da tempestade que destruiu Macondo e combate o crime em Gotham City.