Cultura corporativa: Como o hábito de treinamento impacta positivamente na sua empresa

Um grande desafio para muitas empresas é disseminar a cultura interna para seus colaboradores e de fato, gerar engajamento e resultado com isso. A cultura interna é a base da relação entre empresa e colaborador.

Uma das formas de se conseguir isto é a que vamos abordar neste artigo: criar e incentivar o hábito de treinamento nos seus colaboradores. Explico melhor a seguir!

Por que criar e incentivar o hábito de treinamento?

Pra começar, você já ouviu falar de andragogia? Andragogia é considerada a “arte e ciência de auxiliar o adulto a aprender”. Ao estudar esta ciência, aprendemos que adultos são motivados por valores intrínsecos. Ou seja, estamos falando de autoestima, qualidade de vida, desenvolvimento pessoal e afins.

Apesar de um bom clima organizacional, reconhecimento de líderes ou recompensas serem fatores que motivam qualquer colaborador, ao estudar andragogia nós percebemos que eles não são os principais. E como eu já mencionei em outros artigos, o nosso maior trunfo para nos manter competitivos são as pessoas de nossa equipe. Por isso digo por experiência própria, nós devemos investir neles.

Veja alguns dos benefícios que treinamentos corporativos trazem tanto para a empresa, quanto para o colaborador:

  • Vantagem competitiva;
  • Expande o nível de qualidade dos seus funcionários;
  • Evolução na produtividade (funcionários bem preparados geram mais resultados).

Mas tanto energia como outros recursos são limitados, então como utilizá-los da forma mais eficiente? Como poupá-los atingindo o máximo de resultado e satisfação? Explorando uma força extremamente potente, dentro de cada pessoa e organização: o hábito.

Como o nosso cérebro entende um hábito?

Agora que falamos sobre o porquê de incentivar o hábito de treinamentos, é importante você entender um pouco mais sobre hábitos.

Para criar hábitos, em nossa vida, na empresa ou na vida de outras pessoas, precisamos entender a estrutura deles. Por isso, dê uma olhada na figura abaixo, que propõe uma estrutura simplificada:

cultura corporativa treinamentos

Fonte: O poder do hábito

Essa é a estrutura de qualquer hábito, mas para exemplificar vamos utilizar uma metáfora de escovar os dentes antes de dormir. Podemos ver que esta rotina tem os seguintes elementos:

1. Deixa: é um evento ou contexto que dispara no nosso cérebro o impulso de tomar uma ação. Deixas se encaixam em pelo menos uma das cinco categorias abaixo:

  1. Lugar
  2. Hora
  3. Estado emocional
  4. Pessoas
  5. Ação imediatamente anterior

Então a Deixa para escovar os dentes é “hora de dormir”, ou “acabei de comer”.

2. Rotina: é a ação desencadeada pela Deixa. É o que de fato você faz, as vezes sem perceber que começou, quando o hábito já está instalado. No exemplo da escovação de dentes é ir até o banheiro, colocar o creme dental, por exemplo.

3. Recompensa: é o que acontece durante ou imediatamente após executar a rotina, que é, no fim das contas, o que você queria alcançar com sua rotina e que possibilitou ela virar um hábito. No caso da higiene dental, pesquisas da indústria de creme dental apontam para a sensação dos dentes lisos e de frescor, que juntos trazem a sensação de “boca limpa”.

Ok! Mas como criar esse hábito vai impactar a cultura da minha empresa?

Vimos acima que os hábitos são ciclos de Deixa/Rotina/Recompensa.

Adaptei para o cenário corporativo, e gostaria de saber se você se identifica com este ambiente:

Você precisa que parte dos seus funcionários saibam utilizar o excel mas não sabe bem como orientá-los. Seus gestores tentam repassar um ou outro conhecimento mas seus outros afazeres não podem ser deixados de lado. Eles também direcionam os funcionários a olharem vídeos no youtube mas com as tarefas do dia a dia, é compreensível do porque o pessoal acaba não priorizando isto.

Você se identificou?

Acredito que muitos se identificaram, mas não se preocupe! Esta pode ser uma situação comum. Por isso, a seguir explico como aplicar a metodologia de criação de hábito para melhorar este cenário. Voltando ao ciclo de Deixa/Rotina/Recompensa:

  • Deixa: desenvolver a competência de utilizar o excel com mais profundidade na empresa
  • Rotina: buscar a forma de treinamento mais adequada para sua realidade e que desenvolva essa habilidade no grupo
  • Recompensa: para o grupo, será a recompensa de aprender algo que eles realmente utilizam no seu dia-a-dia e que melhore sua produtividade. Sem a frustração de aprender diferente dos seus colegas caso precisassem procurar na internet. Para a empresa, é a recompensa de obter uma competência a mais nos seus funcionários, de forma rápida e uniforme, melhorando produtividade e ainda sem precisar utilizar o tempo dos gestores para seus outros afazeres.

Viu? É comum observar nas organizações que a rotina tomou conta do dia-a-dia, deixando de lado a preocupação em transmitir seus princípios culturais ou em aumentar o nível de qualidade e produtividade de seus colaboradores.

Por isso treinamentos corporativos são uma ótima forma de visar o crescimento da sua organização.

  • Treinamento de cultura: Você vai ter sua cultura documentada e de fácil acesso para todos os funcionários, e irá facilitar ainda mais o entrosamento e entendimento de novos colaboradores.
  • Treinamento de capacitação: Todo o tempo e conhecimentos dedicados voltarão para a sua empresa, já que é ali que seu funcionário vai praticar o que aprendeu.

A seguir, trouxe alguns insights para você identificar e criar hábitos na sua empresa, como o treinamento corporativo.

Criando hábitos de treinamento

É importante ressaltar que não existe “receita de bolo”. Por isso, prefiro fazer perguntas, buscando gerar insights para você que está inserido e conhece seu contexto, que tal?

Deixas: Acredito que a principal das perguntas é: que Deixas são comuns para seus treinandos? Por exemplo, todos têm horário de almoço? Eles têm acesso constante e levam emails da companhia a sério?

Rotinas: parece óbvio, no nosso caso seria treinar, por exemplo consumindo conteúdo online ou realizando uma atividade. Mas como? Qual o meio de acesso? No computador, no celular ou em qualquer um dos dois? Quanto tempo esse conteúdo ou atividade leva para ser consumido?

Recompensas: essa costuma ser a parte mais desafiadora. Que Recompensa imediata seu treinando vai sentir logo que começar a fazer o treinamento ou logo após sua conclusão? Vai ser a sensação de que ele subiu mais um degrau na escada para promoção, pois a trilha de cursos é requisito para isso? Quem sabe ele acumulou “milhas” de viagem, que é um prêmio dado a quem completa com sucesso X horas de treinamento no ano? Vai ser ele se sentir mais confiante para atender um cliente específico agora que viu detalhes e argumentos de venda de um produto e o conteúdo o motivou? Pense: o que motiva as pessoas a executarem os outros hábitos que elas já tem, posso usar alguma dessas motivações?

Conclusão

Podemos ver neste artigo como temos mais controle sobre nossos hábitos do que imaginamos, certo?

Explorá-los podem ser uma boa forma de trabalhar com treinamentos para disseminar a cultura da sua empresa para seus colaboradores, ou para incentivá-los a desenvolver competências e habilidades em prol do crescimento de sua organização. E lembre-se sempre quão fundamental é uma boa relação entre empresa e colaborador para manter uma harmonia organizacional.

A principal fonte desse post é o livro O poder do hábito (que indico a leitura se você gostou do assunto), junto com a parceria entre SocialBase e os 13 anos que a Mobiliza tem de experiência em treinamentos corporativos.

E você? Como trabalha os hábitos e a cultura da sua empresa? Conta pra gente nos comentários.

Sucesso!

João

João Romão

Defensor da quebra de paradigmas da educação de adultos e das construções sociais, para desenvolvimento pessoal e único. Além disso, faz uma ótima panqueca com Nutella, gosta de uma planilha e é CEO da Mobiliza.