Pressione "Enter" para pesquisar ou "Esc" para cancelar.

A importância de segmentar a Comunicação Interna

Empresas reconhecem a importância da pessoalidade da mensagem no diálogo com os seus diferentes públicos – em marketing isso é evidente. Mas também precisam pensar neste ponto com relação ao público formado pelos colaboradores para começar a segmentar a Comunicação Interna.

Pessoas são diferentes umas das outras. Cada qual, carrega em si uma bagagem repleta de histórico baseado em experiências, vida familiar, formação escolar, lugar onde vive, erros e acertos. Quando migramos esse pensamento para o meio corporativo o cenário se repete, mas soma-se ainda quesitos como: atividade exercida, cargo que ocupa no organograma e o tal propósito que dá rumo às ações do dia a dia.  

Mas tudo isso não deveria ser comum a todos aqueles que fazem parte daquela mesma ‘massa’ institucional?”, – você me pergunta.

Não, não deveria, e confie em mim: é bem melhor que seja assim. Gente diversa dá riqueza à instituição, concede novos ares, revigora a cultura organizacional e nos concede a chance de, a todo momento, testar o instigante exercício do diálogo coletivo. Um desafio e tanto aos profissionais que tem, por meio da Comunicação Interna, a missão de colocar todos os colaboradores na mesma página, na mesma trilha e com foco a um só objetivo.

Mas por que a Comunicação precisa ser segmentada?

A Comunicação Interna, ao longo dos tempos, foi se adaptando às novas realidades das empresas. Segundo (BAHIA, 1995, p. 31), “(…) deriva da necessidade de transmitir ao público da casa, com freqüência e clareza, o pensamento e a ação da empresa, destacando-se as posições que assumem seus dirigentes e a consciência da função social que têm.”

Mas os receptores – no caso, colaboradores, empregados, funcionários, fornecedores – não são sempre os mesmos e daí vem o exercício mais desafiador de todos: como chegar a eles com eficiência?

Ter a plena consciência de que um discurso corporativo coeso não é falar a mesma coisa e da mesma forma para todos é um passo importante para o sucesso da Comunicação Interna. Pessoas, diferentes que são, merecem ser tratadas com individualidade, e aqui está realmente um diferencial de uma Comunicação Interna realmente estratégica: ela é segmentada.

Neste sentido, segmentar a Comunicação é essencial para alcançar todos os colaboradores e, com isso, transmitir a mensagem.

Segmentar a Comunicação exige técnica e sensibilidade

Agora, faça-se essa pergunta: você sabe mesmo com quem está falando? Pode parecer maluquice, mas muita gente não sabe, não tem nem ideia. Confundir realidade com vontade, ou mesmo projetar-se como imagem modelo são alguns dos principais equívocos que podem jogar um comunicador para longe do sucesso.

Seu público interno tem mais homens ou mulheres? Sua empresa sofre com os encontros geracionais, tendo integrantes da conturbada geração X, Millennials ou os mega-ultra-engajados da era mobile, geração Z? Suas atividades são mais operacionais ou estratégicas? Exercem sua função num ambiente interno da empresa ou remoto?

Todas essas informações puramente demográficas, por exemplo, somadas a uma boa dose de percepção e outras boas práticas irão iluminar o caminho para uma Comunicação Interna eficiente na empresa.   

Os prejuízos de não segmentar a Comunicação com os colaboradores

Segmentar a Comunicação da empresa consiste em dividir o público interno que têm características distintas m grupos menores.

A divisão desses grupos ocorre pela sua semelhança na forma de consumir a informação interna e responder à determinada estratégia. Isto é, grupos de colaboradores que vivem realidades e têm percepções semelhantes sobre a empresa, e tendem ou precisam responder de forma similar à uma determinada estratégia de Comunicação, são um segmento do seu público interno.

Não ter uma Comunicação Interna segmenta, dividindo o grande público em grupos, traz prejuízos para os resultados das estratégias de Comunicação – e também das estratégias macro da empresa – porque ao não segmentar a comunicação sua empresa está falando com todo mundo e ao mesmo tempo com ninguém.

Dentre as outras perdas que acontecem por não segmentar a Comunicação Interna é possível listar:

  • Falta de clareza do colaborador sobre o propósito e quais as prioridades da empresa. Isso porque ele recebe informações, de tantos tipos, que têm dificuldade de priorizar qual a mais importante.
  • Excesso de informações para os colaboradores, que sentem-se sobrecarregados, confusos e perdidos em meio a tantos conteúdos.
  • Baixo engajamento dos colaboradores em ações da empresa, pois a sobrecarga de informações faz com que a Comunicação torne-se um ruído no dia-a-dia de trabalho, e o colaborador pode acabar simplesmente ignorando-a , já que ele não se identifica com o conteúdo genérico direcionado à ele.
  • Baixa produtividade do colaborador, pois as Comunicações da empresa tornam-se uma distração pela falta de segmentação. Além disso, as informações passam a ter importância secundária já que o funcionário recebe conteúdos que para sua realidade podem não são interessantes – e no meio disso uma informação importante pode “passar batida”;
  • Baixa participação da liderança que, por receber as mesmas informações que os demais colaboradores – entre eles, seus liderados –  se exime do seu papel de comunicador interno e deixa de cascatear a informação;
  • Falta de alinhamento interno, já que todos recebem a mesma informação sem distinção de timing ou importância, e cada colaborador ou equipe acaba por escolher individualmente qual é o conteúdo mais importante que foi comunicado pela empresa, e aí  trabalha no sentido desse ideal,  e não no sentido de unidade rumo à um resultado comum.

As vantagens de segmentar a Comunicação Interna

Toda vez que um novo Plano de Comunicação Interna é iniciado comparo ao esforço de uma partida de xadrez. Apesar de todas as peças serem da mesma “caixa” na partida (esta que seria a empresa) cada peça representa um personagem com características muito específicas (no caso, cada colaborador). Algumas deles se movem em linha reta e diagonal, outros podem pular casas pra frente e pra trás. Alguns se posicionam à frente, outros na retaguarda. E, assim, em alguns momentos é preciso arriscar e antecipar-se à jogada, ou em outros apenas aguardar o movimento de forma paciente.

Neste sentido a Comunicação, atuando nesse jogo de xadrez empresarial, precisa chegar primeiro à algumas peças, de outra forma para outras peças, e desencadear determinada ação em outras, para que a organização “vença o jogo”. Assim, ao segmentar a Comunicação Interna a empresa consegue acionar mais fácil e claramente seu público interno rumo à resultados, como nesta metáfora para o xadrez. 

Isso porque a notícia empresarial passou a ser tratada como um produto de fato, e tal como qualquer produto que se preze precisa responder demanda, gerar interesse e chegar ao seu consumidor de forma plena. No caso da Comunicação Interna, o colaborador a consome, interage e faz rodar o fluxo interno de informação entre setores, cruzando organogramas, fluxogramas e incorporando ao ambiente de trabalho uma relação de parceria e confiança, para construir estratégias e operações que levem a empresa a avançar.

Assim, dentre as vantagens de Segmentar a Comunicação, podemos observar:

  • Maior engajamento do público interno com as ações da empresa, pois ele se identifica com a comunicação segmentada e tem mais clareza do seu propósito dentro do objetivo maior da organização.
  • Mensuração mais assertiva dos impactos da Comunicação nos colaboradores, por meio da análise de retenção da mensagem nos grupos de  segmentação. Ou, em outras palavras: fica mais fácil mensurar o impacto do trabalho da comunicação em grupos menores/segmentados.
  • Melhor alinhamento interno já que, de forma segmentada, a empresa consegue traduzir e fazer entender à todos o senso de unidade e a direção que cada colaborador e cada equipe devem seguir;
  • Melhora na produtividade pois, com a Comunicação segmentada corretamente, cada peça do “xadrez empresarial” recebe as informações que precisa para a realização do seu trabalho de forma mais eficiente e sem ruídos;
  • Maior engajamento das lideranças, que entendem a sua posição de multiplicadores  da informação dentro da empresa, recebendo, repassando e reforçando as comunicações que realmente precisam estar alinhadas dentro da equipe;

Além disso, para os colaboradores o principal beneficio da segmentação da Comunicação é a diminuição do excesso de informações e um melhor foco no propósito para gerar engajamento. Isso porque cada colaborador se sente único, visto que sua pessoalidade foi identificada e considerada, e assim acontece a mágica do reconhecimento por afinidade, tornando cada funcionário mais disposto para ouvir e colaborar. 

Já para o comunicador interno, segmentar a Comunicação significa  gerir melhor as demandas, fazendo um trabalho mais assertivo e coordenando ações de uma forma mais estratégica, passível de um acompanhamento e mensuração mais exatos, mostrando assim o  valor estratégico da Comunicação Interna.

Por onde começar a segmentação do público interno?

Perceba que individualizar o discurso não significa, literalmente, falar ao pé do ouvido de cada funcionário,  mas fazer despertar nele o sentido exclusivo daquela mensagem no seu trabalho. Em geral, as principais bases para se trabalhar uma Comunicação segmentada são:

  • Manter um perfil atualizado do seu público interno
    Sexo, idade, descrição por setor, localização, tempo de casa, bem como percentual de turnover geral e por setor. 
  • Ter canais internos flexíveis
    Não dá para acreditar que apenas um canal de comunicação é capaz de resolver todos os seus problemas. Hoje, segue-se a linha de um colaborar com outro potencializando o impacto e o alcance. Nunca force a barra e parta para o extermínio indiscriminado de canais achando que essa é a melhor forma de unificar a informação. Tenha sempre à mão possibilidades para arquitetar a divulgação através das variáveis tempo, nível de aprofundamento necessário e público-alvo. Nesse caso, o canal representa a “forma” como a informação chega ao colaborador e, a contar com o papel assumido por cada um deles, pode fazer toda a diferença.  Há quem segue e quem faz seguir, certo? Líder e liderado, por exemplo, precisam ter enfoques diferentes na mensagem. Um talvez, mais informativo, o outro, com a missão de empolgar multidões – e neste sentido os canais por ondem a mensagem irá passar fazem toda a diferença.

  • Revalidar percepções sempre que possível
    Informações originadas de uma Pesquisa Clima ou enquetes periódicas podem também ser inputs para ajustar seu foco. Lembre-se que uma empresa é viva, sua cultura está permanentemente em transformação e sentimentos podem mudar a todo momento. Esteja aberto para tudo isso que estiver nas entrelinhas das conversas entre as equipes.

Conclusão

Segmentar a Comunicação Interna é tão simplesmente pensar de forma inteligente como a mensagem poderia ser não só captada, mas, principalmente, melhor absorvida pelo receptor. Absorção que busca ação e leva ao engajamento, força capaz de transformar impérios e construir uma barreira indestrutível de reputação. Dessa forma, segmentar a Comunicação Interna é o primeiro passo para fazer com que a informação chegue na hora certa à quem precisa dela na empresa, ou seja, tenha alcance,  e real impacto atingindo os colaboradores. 

Para identificar se a sua Comunicação tem um alcance efetivo está “chegando na ponta” é preciso fazer um Diagnóstico. Que tal fazer o da sua empresa gratuitamente?Responda em menos de 5 minutos, algumas perguntas e tenha um panorama geral da Comunicação da sua empresa.

banner-comunicados-digitais2