Pressione "Enter" para pesquisar ou "Esc" para cancelar.

Motivação dos colaboradores: 6 dicas para incentivá-la e mantê-la

Segundo o dicionário, motivação é um impulso que faz com que as pessoas ajam para alcançar seus objetivos e desejos. É basicamente um processo que direciona e mantém o comportamento e leva as pessoas a darem o seu melhor para atingir as expectativas com relação à alguma coisa. Já em uma empresa, a motivação dos colaboradores é o que os mantém além de comprometidos, produtivos, engajados e satisfeitos – características que são o diferenciais na hora de crescer resultados e enfrentar o inimigo número #1 das empresas atualmente: o alto turnover.

Mas, de onde vem a motivação?

Esta é uma pergunta que muitos tentam responder, principalmente em relação de trabalho, pois sentir-se motivado e perceber o mesmo sentimento também em sua equipe, colegas e pares sem dúvidas afeta positivamente o resultado final de qualquer projeto.

Porém, para que a motivação dos colaboradores vá além da teoria e funcione bem na prática, duas variáveis precisam ser consideradas e alinhadas:

  • Propósito: para manter colaboradores motivados, o propósito da carreira pessoal de cada um deve caminhar na mesma direção do propósito da empresa. Quando essa sincronia existe e a direção de ambos é mesma, a motivação e a produtividade tornam-se naturais no trabalho.
  • Liderança: aliada ao propósito, uma liderança que conhece e inspira sua equipe é fundamental. Em todos os níveis, começando pela média liderança até a alta gestão, é preciso que os líderes entendam de negócios e processos, mas acima de tudo, de pessoas, para que consigam melhorar sempre o rendimento do time e da empresa como um todo.

Teorias da Motivação e sua aplicação nas organizações

A motivação vem da combinação de diferentes fatores e áreas da vida, e o comportamento motivado é determinado pelo equilíbrio destas áreas. Despertar da motivação nos colaboradores é também ajudá-los a encontrar esse equilíbrio, e para isso, três teorias podem ajudar:

Abraham Maslow, psicólogo americano, conhecido pela Pirâmide de Maslow, defendia de modo prático e lógico a tese de que o homem se motiva quando suas necessidades são supridas na seguinte ordem: necessidades fisiológicas, segurança, necessidades sociais, auto-estima e auto-realização.

Já David McClelland, outro psicólogo americano, indicou três necessidades essenciais para a motivação: poder (influência), afiliação (relacionamento) e realização. Essa teoria, chamada de “Teoria da Motivação pelo Êxito e/ou Medo”, explica que cada pessoa tem um nível de necessidade diferente da outra, e que quando um indivíduo consegue algo através de alguma motivação, ele vai utilizar deste mesmo método para solucionar outros problemas.

Frederick Herzberg propôs a “Teoria dos Dois Fatores” , a qual aponta que existem dois fatores que afetam o indivíduo: fatores motivacionais (intrínsecos – fatores controlados pelas pessoas, relacionados às atividades realizadas) e fatores higiênicos (extrínsecos, que levam a insatisfação – fatores administrativos, fora do alcance do indivíduo, decididos pela empresa), teoria que ajuda a entender o que causa satisfação e insatisfação no ambiente de trabalho e também influenciam na cultura organizacional.

Para pensar a motivação dos colaboradores no ambiente de trabalho e também identificar desmotivação e encontrar alternativas para contorna-lá, além de estudar as teorias, ouvir os colaboradores é essencial para tirar insights preciosos sobre este cenário na sua organização, seja  por meio de pesquisas com grupo ou feedbacks individuais.

A temida desmotivação

A motivação não pode ser uma imposição. Pessoas desmotivadas no ambiente de trabalho são um problema para a empresa, pois além de estarem com o astral baixo, produtividade em queda, podem influenciar outras pessoas. Mas é impossível mudar esse cenário simplesmente tentando forçar um novo modelo.

Quando as pessoas fazem o que gostam elas sentem prazer e as coisas fluem, trazendo felicidade e satisfação, e isso se traduz em motivação. Você já deve ter ouvido de um colega de trabalho que ele está “um pouco pra baixo”, não produz mais o quanto gostaria ou que não tem mais tanta vontade de executar as tarefas. Esses são sinais claros de desmotivação.  

Murilo Gun, comediante e professor de criatividade, comenta que quando fazemos qualquer coisa por opção significa ir com motivação intrínseca, genuína, e aí você é capaz de fazer as coisas melhor. Nesse sentido, para gerar motivação nos colaboradores é preciso incentivá-los na execução das atividades de trabalho. Do contrário, se há alguma tentativa de imposição a satisfação em fazer uma determinada tarefa e consequentemente o impulso para fazê-la não irão existir.

Comunicação para gerar satisfação e motivação

Na maioria das vezes a comunicação interna de uma empresa pode ser a causa principal da desmotivação dentro dessa organização. Não ter uma troca fluida e clara de informações entre as áreas, pode causar atritos e mal entendidos, gerar líderes e colaboradores frustrados, afetando seu rendimento e uma série de outros problemas que influenciam diretamente na vontade de realizar as tarefas e na qualidade do que é realizado.

Uma comunicação interna ineficiente é o cenário perfeito para o surgimento da desmotivação, uma vez que quando a comunicação de uma empresa não funciona ela sofre com rádio corredor, cultura organizacional tóxica, clima organizacional pesado, desalinhamento, falta de integração, entre outros problemas que isolados podem parecer pontuais, mas no acúmulo da rotina acabam prejudicando a motivação e a performance, podendo atingir até aquele colaborador de altíssimo nível que, desmotivado, pode começar a procurar novos horizontes.

Não só a comunicação interna em nível institucional, mas também a que diz respeito à relação entre as lideranças e suas equipes deve ser aberta e sem barreiras, facilitando o diálogo e o entendimento das pessoas, para que os colaboradores cheguem mais facilmente onde desejam levando em conta as necessidades da empresa.

Além de ser uma forma de manter a motivação, uma comunicação interna bem estruturada também faz toda a diferença na hora de ouvir um colaborador insatisfeito ou desmotivado. Ouvir, dialogar, aceitar sugestões, melhorias e rever atividades de uma forma transparente são atitudes que podem recuperar aquele funcionário desmotivado, e tudo isso só acontece por meio da comunicação.

Um pessoa motivada, ou que procura motivação tem a habilidade de se comunicar. Quando sabemos dizer o que queremos e sentimos, os caminhos ficam abertos e as dificuldades são minimizadas, facilitando o acesso às pessoas e as informações. Mas para que isso aconteça dentro das organizações as empresas precisam adotar uma postura que prioriza e viabiliza a comunicação interna.

6 dicas para manter a motivação dos colaboradores e incentivá-la em sua equipe

#1 Conheça o potencial de cada um e ouça

Tiago Mattos, co-founder da Perestroika, explica que eles não contratam as pessoas pelo o que elas fizeram no passado e sim pelo o que elas desejam ser e fazer no futuro, pensando que as pessoas são bem mais do que somente experiências passadas,  mas sim formadas de sonhos e desejos precisando apenas que alguém as motive dando oportunidade de demonstrarem do que são capazes.

Nesse sentido, as organizações precisam orientar suas lideranças para serem especialistas em pessoas, onde o líder assume o papel de conhecer bem cada membro do seu time e entender o que eles sabem, desejam e o que querem fazer em prol da organização. Torna-se importante conhecer hábitos de leitura e estudos, hobbys e anseios de cada um, a fim de entender onde eles poderão trabalhar com mais prazer e entregando mais para a empresa.

#2 Atribuição de novos projetos

Motivação pode estar diretamente ligada à desafios, por isso a atribuição de novos projetos pode ser um ponto poisitivo na hora de mantê-la. Novamente, é papel da liderança ter confiança no seu time para que consiga desafiá-lo com novos projetos e comprovar o potencial de entrega de cada colaborador, dando liberdade, mas com entregas bem definidicas, permitindo o uso da criatividade e expertise de cada um.  

#3 Reconhecimento

Reconhecer é uma das formas de motivação mais reivindicada pelos colaboradores hoje em dia. Qualquer membro da equipe, quando perceber a qualidade do trabalho de alguém, deve reconhê-lo, seja através de um comentário ao autor do projeto, uma nota ao líder do time. Adotar o hábito de reconhecer as pessoas e incorporá-lo na rotina com certeza se tornará o impulso para motivação em novas atividades ou tarefas semelhantes. 

#4 Diagnóstico pessoal

Fazer um diagnóstico pessoal ou incentivar sua equipe a fazê-lo pode ser útil para que as pessoas percebam o que de fato as move. Permitir-se conhecer mais profundamente e availar os setores da vida, alinhando sentimentos e expectivas pode resgatar a satisfação e também ajudar a perceber novas fontes de motivação.

#5 Aprenda com os erros

Fato importantíssimo na relação de trabalho é errar e aprender com o próprio erro. Uma das principais lições, é aprender a não repetir este erro e a segunda mais importante é agilidade em corrigí-lo evitando que as consequências sejam maiores.

Errar é natural, faz parte da natureza humana, portanto não deve ser um ponto de desmotivação, pelo contrário, deve ser uma ferramenta ou munição para incentivar a motivação,  de uma forma positiva, acreditando que cada erro deixa uma lição e que dali pra frente você, sua equipe ou seu colaborador não repetirá o mesmo tropeço.

#6 Mova-se

Assumir responsabilidades, agregar valor ao trabalho, equipe ou empresa, estudar, envolver-se em processos. Nada é mais motivador do que sentir-se útil. Por isso esteja sempre em movimento e incentive sua equipe a buscar o mesmo. Vibre com pequenas conquistas, aproveite o processo de descoberta para evoluir como profissional e incentive essa evolução em seus pares, encontrando novos motivos para seguir em frente.

Por fim, a dica de ouro sobre motivação é ter consciência de que ela é construida por um trabalho constante e precisa ser frequentemente incentivada nos colaboradores. Cuidar para que o time não se desmotive também é fundamental para ter uma equipe de performance em uma empresa competitiva por bons resultados. Por isso, priorize o diálogo, a comunicação e o envolvimeto da liderança com suas equipes e pares.  

Além da abordagem individual para manter-se motivado e a importância da liderança para a satisfação da sua equipe, estratégias endomarketing podem ser uma boa forma de atingir a empresa como um todo, trabalhando a motivação dos colaboradores em um nivel mais amplo, por meio de iniciativas e campanhas que levam a missão, visão e valores da organização aos seus funcionários, deixando-os mais alinhados, cientes e envolvidos, ligando seus propósitos aos objetivos da organização e gerando sensação de pertencimento.

E você, sente-se mais motivado e pronto para trabalhar a motivação com a sua equipe agora? 🙂

endomarketing digital