O desafio do Mobile

Segundo a IDC Brasil, o mercado de TIC (Tecnologia da informação e comunicação) irá crescer este ano 2,6%, com destaque para novos modelos de negócio suportados pelos pilares: cloud, mobilidade, mídias sociais e big data.

Pietro Delai, gerente de Consultoria e Pesquisa Enterprise da IDC Brasil, aponta que mais da metade das organizações do país adotará este ano o DX – Digital Transformation, estreitando a relação entre TI e linhas de negócios.

Para o profissional, soluções baseadas em modelos colaborativos de compartilhamento, novas aplicações configuradas para rodar em nuvem e oferecer uma experiência consistente ao usuário final – em qualquer lugar e em qualquer dispositivo – estarão em foco.

A análise é confirmada por dados colhidos pelo Gartner. Segundo o instituto, em 2015, houve um crescimento de 32% no número de empresas globais com receita acima de US$ 250 milhões que investiram em projetos digitais.

Esta mudança comunicacional é impulsionada pelas gerações millennial e Z, que demandam uma comunicação mais digital, rápida e voltada ao mobile. Porém, para Rada Martini, CEO da SocialBase, trabalhar com mobile ainda é um grande desafio no Brasil.

Para ele, devido alto custo do hardware e a infraestrutura de 4G engatinhar no país perde-se muito, pois as empresas precisam adaptar suas soluções para rodar em aparelhos mais simples e acabam não entregando ao público todo o potencial.

Este furo de software acontece por que há no mercado uma série de sistemas operacionais fragmentados e completamente personalizados pelos fornecedores de hardware. Segundo Luiz Gustavo Pozzo, desenvolvedor Android da SocialBase, as falhas  e baixa performance são reflexo disso, uma vez que o software foge das diretrizes para a qual foi criado.

Isso cria uma gama infinita de variantes que podem influenciar na usabilidade final do aparelho; gerando falhas na resposta de aplicativos que param de responder, porém isso nem sempre é resultado de uma má implementação, “muitas vezes, são fruto de um sistema que possui comportamentos desconhecidos e geralmente até não documentados que fogem do padrão ao qual o desenvolvedor espera”, comenta Pozzo.

Infraestrutura

Apenas no terceiro semestre de 2015 aproximadamente 10,753 milhões de smartphones foram vendidos no país, sendo que 46% destes aparelhos são compatíveis com rede 4G, porém, de acordo com dado de 2015, apenas 95 dos 5.570 municípios do país são cobertos pela tecnologia.     

Para Martini, este é um problema sério, pois limita, entre outras coisas, a informação, a comunicação de qualidade e a inovação. Segundo ele, apesar de esta estrutura não ser responsabilidade de empreendedores, cabe a eles buscar formas de incentivar e cobrar do poder público a melhora desta entrega.

Além disso, ele aponta que a utilização corporativa de dispositivos móveis, como mostram os números, cresce vertiginosamente e traz ótimas oportunidades para que as empresas ganhem em produtividade e agilidade na tomada de decisão. “Por isso, estamos investindo fortemente na evolução dos nossos aplicativos para que as empresas que atuam no Brasil utilizem a nossa experiência na solução de seus problemas de comunicação interna”, finaliza.

 

França

França

Jornalista, especialista em cinema e mestrando em Literatura, nas horas vagas lembra da tempestade que destruiu Macondo e combate o crime em Gotham City.