O que são redes sociais corporativas e como usá-las a favor da sua empresa

Usar tecnologia deve você! Adaptando as assertivas do mestre Yoda, aos ensinamentos Jedis para os dias de hoje, teríamos uma oração mais ou menos à abertura deste texto. A tecnologia, salvo raras exceções, é uma realidade irreversível e você vai ter de usá-la (pequeno gafanhoto).

Neste caso, se não há volta, e você é um irremediável contestador dos produtos inspirados na criação de Alan Turing – ou mesmo um entusiasta deles – a solução indicada é tê-los como amigos próximos, conhecendo-os intimamente.

E neste mundo virtual, onde tudo gira as voltas da velocidade da luz, uma tecnologia vem aproximando-se da linha de ‘chegada’ com meio corpo de vantagem, quando o assunto é comunicação e organização no meio corporativo. E, amanhã ela pode ser sua nova colega de trabalho.

Pensando nisso, para facilitar o cicerionar da colega, conversamos com a equipe de Customer Success (CS) da SocialBase que nos apresenta as ‘qualidades’ e ‘defeitos’ da moça.

Rede Social Corporativa, o que é?

Uma RSC, alcunha carinhosa a uma Rede Social Corporativa, é um software (geralmente fornecido como SaaS*) de gestão de comunicação, de arquivos e de conhecimento que permite a todos os usuários da rede acesso a todos, focando em produtividade; colaborativismo e compartilhamento de conhecimento.

A ferramenta tem sido considerada a evolução das intranets tradicionais e traz inúmeras funcionalidades que facilitam a comunicação; o ‘manuseio’ de arquivos e de conteúdos indispensáveis ao trabalho.

Entretanto, voltando ao ponto inicial, se você não a conhecer, poderá deixar de utilizar funções que podem facilitar o seu trabalho.

Integração

Uma das vantagens de uma RSC está na possibilidade de integração com outros aplicativos web utilizados na empresa. Ao invés de você decorar ‘N’ endereços web, há um campo na RSC que os integra a ela. Esse benefício, além de facilitar a sua vida, permite um ganho de tempo, pois você não precisa salvar os urls em favoritos, e entrar com sua senha toda vez que logar, basta um clique.

Conectividade

A rede permite que você seja você. Em outras palavras, ao invés de ser o ‘carinha do almoxarifado’ você se torna o Bruno, a Beta, o Thiago, a Amanda. A vantagem da construção de um perfil é que: além de você conhecer colegas que possivelmente (dependendo da empresa) não teria contato, você pode receber e repassar conhecimento, mesmo que não esteja atrelado ao seu trabalho.

Por exemplo, no Feed (mural de postagem), é possível fazer postagens interessantes sobre o mercado, curiosidades, artigos e mesmo dúvidas. É nesse ponto que há o trunfo do software, por ser possível seguir e ser seguido por todos, toda a população da empresa terá acesso aos seus posts. E, no caso de uma dúvida, algum colega de um setor completamente diferente do seu pode respondê-la. Iniciando um ciclo de colaborativismo na empresa.

Além disso, a rede possui campos à criação de discussões em grupos (abertos ou privados), ou seja, se você prefere criar um grupo para analisar uma questão da empresa, uma ação inovadora por exemplo, onde há algumas atividades a serem tratadas em sigilo, você pode criar um grupo privado. Contudo, lembre-se: ao criá-lo, ele é seu. Logo, dê vida a ele, mantendo-o atualizado e chamando os participantes à contribuir com ideias, conteúdos, etc.

Outro ponto importante são as notificações por email. Embora, haja um consenso que o email está ‘parado’ no tempo e é necessário repensar sua aplicação corporativa, ele ainda é muito utilizada nas empresas. Dito isto, para não sobrecarregar sua caixa de entrada, desabilite algumas notificações da RSC, porém não todas. Segundo Vinicius Bento, analista de CS, é indicado manter ativas as notificações de menções, de grupos e comentários em publicações feitas por você.

Há na rede inúmeras outras vantagens que podem ser verificadas neste endereço. Contudo, não é apenas uma RSC que você deve conhecer. Lembra da frase do Yoda no início do texto? Não só use tecnologia, mas extraia dela o máximo para facilitar seu trabalho e de seus colegas.

*SaaS – Software como serviço: O modelo está relacionado a contratação de um software para sanar determinada necessidade da empresa (Rede Social Corporativa; Intranet; email; CRM; etc), sem que haja a necessidade de adquirir hardwares, licenças de softwares ou mesmo instalar aplicativos, basta acessar o serviço por meio do endereço fornecido pelo contratado. Nesse modelo, o cliente paga o serviço e não o produto.
França

França

Jornalista, especialista em cinema e mestrando em Literatura, nas horas vagas lembra da tempestade que destruiu Macondo e combate o crime em Gotham City.