Pessoas precisam de histórias, conte a sua

“Quem não escreve bem perde o trem”; “Quem não se comunica se trumbica”. Há inúmeras frases relacionadas à comunicação como elemento central da interação humana. Essa máxima acompanha a humanidade durante toda a história. E, é nela, que buscamos registros para nos inspirarmos ou repudiarmos com ações de outrora.

Com as empresas a lógica permanece, apesar de ser segmenta à ações ligando-as à vendas e conquistas – de colaboradores e clientes. Todavia, a cada ano, desde a fundação da Kongo Gumi – empresa mais antiga do mundo em atividade – é preciso parar, repensar e adequar-se ao seu tempo. Em outras palavras, esteja preparado para mudanças e conheça seu público melhor que ele mesmo.

Ter em mente essa lógica é importante, pois o mantém focado. No entanto, é aqui que você deve ter ciência de quem é seu público, o que ele faz, o que ele espera de você e principalmente como chegar a ele da melhor maneira possível.

Em um trecho do livro Mil e uma noites há a seguinte assertiva: “pessoas precisam de histórias mais do que pão propriamente dito. Histórias dizem-no como viver e por quê”. Essa frase pode passar desapercebida pelo leitor comum, mas se você está ciente que o conteúdo é o raio trator que impulsiona seu produto, ela devia estar sobre a entrada da sua empresa. Essa afirmativa, um tanto exagerada, é comprovada pelo CEO da Tom Shoes, Blake Mycoskie. Para ele a importância de ter uma história é o que diferencia as empresas. “As pessoas não usam nossos sapatos, elas contam uma história.” finaliza.

Nesse contexto, além de perceber uma oportunidade no mercado é preciso ter nitidez do que seu cliente procura e onde ele está. Há uma gama de possibilidades para alcançá-lo, por meio de blogs, email marketing, redes sociais e outras iniciativas on ou offline. No entanto, todo o esforço na produção de conteúdos de qualidade não são o suficientes se o seu público não está recebendo a mensagem. Em outras palavras, anunciar onde seu público não está é o mesmo que tentar vender areia no deserto.

| Mesmo quando você está no mercado falando para toda a sua audiência ou apenas para a sua base de clientes ainda assim você está falando com uma única pessoa naquele momento. Preocupe-se menos sobre soar profissional e mais sobre como criar conteúdo notável com o qual pessoas possam se relacionar |

Ann Handley

Conheça nesse material produzido em parceira com a Contentools mais sobre o Marketing de Conteúdo e algumas técnicas à criação de personas ideias ao seu produto.

França

França

Jornalista, especialista em cinema e mestrando em Literatura, nas horas vagas lembra da tempestade que destruiu Macondo e combate o crime em Gotham City.