Início » Comunicação Interna » Além da pesquisa de clima: como fazer um diagnóstico de comunicação inteligente
Comunicação Interna

Além da pesquisa de clima: como fazer um diagnóstico de comunicação inteligente

Diagnóstico de Comunicação Corporativa SocialBase Cultura Colaborativa

Já não é mais segredo: colaboradores satisfeitos tornam-se embaixadores da marca e suas percepções podem, sim, atingir o mercado. Não podemos nos dar ao luxo de subestimar o poder de discernimento e a voz ativa dos funcionários. Eles precisam e querem ser ouvidos, cada vez mais. E um diagnóstico de comunicação pode mostrar a visão que eles têm da empresa e como podem trazer soluções eficientes.

A gente também sabe que é difícil não ceder à tentação de basear-se em dados do mercado. Afinal, em uma rápida busca no Google é possível encontrar inúmeras soluções e com certeza uma delas vai se aplicar à sua empresa, certo? Errado!

Os números e evidências disponíveis sobre o comportamento das pessoas, em especial dos funcionários, retratam um recorte específico de tempo e local. Podemos até usar como benchmarking e comparativos, mas eles não podem substituir a aplicação de um diagnóstico de comunicação personalizado e com resultados que apontem as peculiaridades da sua organização.

Baseie suas ações de Comunicação Interna em fatos e elas farão sentido

Conhecendo profundamente seus funcionários, fica cada vez mais fácil mapear gaps que precisam ser preenchidos, seja no que tange à motivação e desempenho, seja em processos internos, capacitações e desenvolvimento de equipes. Devemos utilizar pesquisas sempre que quisermos tomar decisões assertivas em relação à qualidade do ambiente de trabalho, para que assim tenhamos balizadores que reflitam na produtividade do time e embasem as ações de engajamento.

Cada empresa possui sua cultura, valores, metas, processos e formas de comunicação e relação entre áreas. E todos esses detalhes são de extrema importância para o planejamento de Comunicação Interna. Apenas conhecendo cada um deles que é possível definir as prioridades, a melhor forma de alcança-los e como impactar positivamente o trabalho.

Qual é mais indicado, pesquisa de clima ou diagnóstico de comunicação?

Claro que a pesquisa de clima tem sua relevância e não é pequena. Mas há alguns passos que precisamos dar antes, realizando um diagnóstico de comunicação. São entendimentos de como os colaboradores percebem suas lideranças, como eles entendem as estratégias da empresa, como estão se comunicando com seus pares e quais são os impactos positivos ou negativos da comunicação no seu trabalho. Afinal, queremos primeiro melhorar a atividade e produtividade dos nossos colaboradores, certo? Com certeza ações nessa direção irão refletir positivamente no resultado da sua pesquisa de clima, muito mais do que criar um parque de diversões no refeitório.

As pesquisas de clima ajudam a medir percepção, adaptação e engajamento; já as pesquisas de diagnóstico ajudam a entender a eficiência dos processos e pesquisas de pulso para mapear necessidades pontuais e questões que nem sempre se destacam no dia a dia. Com o uso de ferramentas variadas, será possível identificar se os valores declarados estão alinhados aos praticados, se todos estão cientes dos desafios e metas da empresa, como enxergam seus relacionamentos e tiram o melhor proveito disso, e então tomar providências para melhorar estes indicadores ou manter os bons.

Cada uma dessas peças revelará a imagem da sua empresa, e é cada vez mais imprescindível que a área responsável pela Comunicação Interna trabalhe com dados para atingir resultados relevantes.

Em uma pesquisa de diagnóstico de CI, é importante avaliarmos como os funcionários enxergam os canais que usamos para chegar até eles e se eles estão recebendo as informações no timing certo. Eles consideram esse canal de fácil acesso? E a mensagem, está clara e direcionada para cada público específico? Pode parecer absurdo, mas não é incomum ao realizar um diagnóstico nos darmos conta de que temos vários canais disponíveis, mas que algum público da organização não está sendo atingido por nenhum. Não é proposital ou por negligência, na maioria das vezes é por tomarmos nossas decisões sem poder consultar os maiores interessados.

A comunicação é eficiente quando ela chega ao colaborador de forma fácil e direta, sem que ele precise buscar pela informação. Por isso é tão importante entender onde está cada um dos seus funcionários e quais tipos de canais você tem disponíveis para levar um comunicado até eles. Se nem todos têm postos de trabalho no computador, utilizar apenas e-mails e canais digitais deixará uma parcela de colaboradores de fora. Se você dispõe de murais ou televisores em refeitórios ou salas de convivências, pode ser um bom meio para recados rápidos – não esqueça de considerar quanto tempo as pessoas terão para receber e assimilar a mensagem e, claro, se a linguagem que irá utilizar está apropriada.

Resumindo: algumas questões que vale a pena levantar:

  • O quão informados os funcionários se sentem sobre os principais assuntos da empresa?
  • O quão fácil os funcionários encontram documentos e informações que precisam para realizar seu trabalho?
  • O quão informados os funcionários estão sobre atividades, metas e resultados de outras áreas?

Além dessas, outras questões podem ser aplicadas. Na nossa Metodologia de Comunicação Interna temos alguns formulários que podem te ajudar muito para realizar um diagnóstico estratégico com seus colaboradores! Depois disso tudo, claro, não se esqueça de compartilhar os tópicos principais identificados. Sabendo que estão sendo ouvidos e que você está buscando soluções, você terá mais abertura no próximo diagnóstico de comunicação.

Junte-se aos nossos + de 40.000 leitores que já acessaram nossos conteúdos exclusivos.

 


Criado por Bruna Ricardo, Customer Success na SocialBase
Atualizado por Bruna Ricardo no dia 25/06/2018