Slack produtividade comunicação interna

Slack: não se engane com a sensação de que ele te torna mais produtivo


Você começa o seu dia de trabalho e a primeira coisa que faz é verificar o que está acontecendo no Slack da empresa. As mensagens individuais, as trocas nos grupos e também as menções diretas. Naturalmente algumas coisas são mais urgente do que outras, então você responde essas primeiro. Muitas coisas são legais, divertidas e até mesmo inúteis, mas você dá atenção a elas mesmo assim – afinal, elas são divertidas, legais e até mesmo inúteis e você já está no Slack mesmo, vai tomar só um minutinho.

Esse é um dia típico de alguém que trabalha com Slack em sua empresa. Só tem uma coisa que não foi descrita com precisão: na realidade o Slack é verificado a partir do término do momento de trabalho, sendo uma das ou a primeira coisa a ser verificada antes de começar uma nova jornada – afinal, você também mandou mensagens e está esperando respostas.

O efeito de ferramentas como Slack na sua comunicação

No artigo “O que acontece quando o trabalho se torna uma sala de bate-papo sem fim”, conta-se a história de Caitlin Hales:

“Se eu não estivesse contribuindo com as pessoas através do Slack, não estava contribuindo com a equipe. Então, sempre tinha uma pressão para responder ao Slack rapidamente o que me gerou a necessidade de silenciar todos os grupos e notificações para garantir minhas entregas”³.

Nem precisava ter ido tão longe. Uma integrante de minha equipe desabafou um dia: “meu marido desinstalou o Slack do celular para poder ter vida fora do trabalho”.

Samuel Hulick escreveu uma carta de fim de relacionamento com o Slack no Medium, que acabou se tornando um aclamado artigo onde diz¹:

“Com você na minha vida, recebi exponencialmente mais mensagens do que antes. E embora tenha sido incrível ter essa conexão com você, isso foi absolutamente brutal na minha produtividade e, na verdade, está tornando mais difícil conversar com outras pessoas”

A sensação é de que a cultura do Slack favorece a tendência de as pessoas se manterem ocupadas, mas não necessariamente produtivas, utilizando esse tipo de tecnologia para criarem reuniões simultâneas que duram o dia inteiro e não tem prazo para acabar.

Em um artigo para o Intelligencer, Molly Fischer aponta que “também é possível se sentir como se estivesse trabalhando sem efetivamente entregar nada”.

Atuo no mercado de tecnologia há alguns anos e – além de já ter utilizado o Slack em duas empresas por onde passei como gerente ou diretor de times de marketing, comunicação e vendas – sempre troco ideias sobre produtividade com meus colegas. As opiniões sobre o Slack tendem a ser divergentes quanto aos hacks e o código de contudo para não deixar o aplicativo devorar a produtividade das pessoas, mas os dois pontos que convergem geralmente são:

  • É preciso tomar uma série de cuidados criando práticas e códigos de conduta para que o Slack possa ser realmente produtivo;
  • Uma vez que toda a empresa começa a utilizar, a organização torna-se dependente desse tipo de solução para comunicação interna.

O novo paradigma da produtividade passa pela comunicação interna

Por ser algo tão natural – afinal, as pessoas simplesmente se comunicam – as empresas tendem a uma dificuldade de enxergar a necessidade de aplicar esforços de gestão e melhoria contínua na comunicação – a tão famosa e polêmica “comunicação interna” – tema sobre qual nós da SocialBase somos especialistas por desenvolvermos tecnologias para isso há 6 anos.

Não basta criar um espaço onde as pessoas possam simplesmente trocar mensagens. O efeito disso é, “apenas” multiplicar exponencialmente o caos inerente à atividade de expressão humana. Usar tecnologia para isso é apenas reproduzir o ambiente cheio de ruídos e barreiras para uma dimensão digital (onde tudo é potencializado). É basicamente isso que o Slack faz.

O novo paradigma da produtividade passa pela forma como a comunicação é orquestrada dentro das empresas.

Paralelamente, minha própria experiência de quase 20 anos no mundo corporativo remete ao fato de que não há um líder sequer que não se queixa da complexidade de gerenciar a comunicação. Que não aponte a comunicação como um importante fator para minar ou alavancar a produtividade das pessoas.

Claro!

Pois a comunicação gera alinhamento, balanceamento das expectativas e clareza de propósito e todas essas coisas convergem para que cada pessoa tenha clareza da missão a ser cumprida. (A falta dessas coisas são temíveis!)

É nesse contexto que nasce a figura da Intranet, um portal eletrônico onde a empresa pode enviar uma mensagem a todas as pessoas, de forma sincronizada e garantindo alinhamento da mensagem em todos os pontos de contato. Bem, isso ajuda muito mas a experiência prática mostra que as pessoas precisam mais do que isso para se engajar: elas também querem ser ouvidas.

Gratis
Materiais Educativos sobre comunicação interna
Intranet: o Guia Completo
A intranet é muito popular, mas divide opiniões nas empresas quanto a sua efetividade. Por isso, reunimos neste Guia Completo tudo que você precisa saber na hora de aderir a ferramenta ou procurar uma versão mais atualizada.

Por isso o conceito de redes sociais transformou completamente as possibilidades da comunicação interna. Embora não sejam tão sexy quanto o conceito do Slack, que vende a possibilidade de estender o caos da comunicação selvagem para o ambiente virtual de uma forma muito simples e até gratuita, as redes sociais corporativas permitem às empresas criarem um ambiente onde interações genuínas acontecem de forma livre e espontânea, mas com uma série de capacidades de organização, geração de foco e ajustes de timing que conciliam as necessidades ouvir e ser ouvido.

Nesse contexto fico muito feliz de ver como a nossa solução funciona em nossos clientes, através de qual nós ajudamos cerca de 60 mil profissionais de todo o Brasil a terem uma comunicação que aumenta suas capacidades de produzir e gerar valor.

Nosso propósito aqui é estabelecer conexões verdadeiras entre a empresa e pessoas, proporcionando desenvolvimento e crescimento conjunto. Comunicação é muito sobre isso e eu fico muito feliz de poder contribuir.

Como takeways desse artigo eu espero que possa se sentir provocado a repensar a relação que você e sua empresa têm com o Slack, levando a considerações mais profundas sobre como realmente cuidar da comunicação interna para que ele seja um fator de produtividade.

Agora que tal trazer mais pontos para a discussão comentando aqui ou conversando com a gente por e-mail? Meu e-mail é leonardo.camacho@socialbase.com.br ou se conecte aqui pelo LinkedIn – será um prazer. Outro “que tal”: levante essa bandeira na sua organização; fique a vontade para nos convidar para essa conversa. 🙂

Referências:

  1. Slack, I’m Breaking Up with You
  2. What Happens When Work Becomes a Nonstop Chat Room
  3. Continuous Partial Attention
Leonardo

Leonardo Camacho

Diretor de Customer Growth, líder dos times de Marketing e Customer Success na SocialBase, e especialista em Comunicação Interna. Atuou em empresas como Knewin, ContaAzul e Gerson Lehrman Group.